ARCO LITORAL TRÓIA-SINES

O Arco Litoral Tróia-Sines (ALTS) – Corresponde a uma faixa litoral de 65 km que se estende entre o estuário do Rio Sado, a norte, e o Cabo de Sines, a sul. Para além da praia arenosa contínua que bordeja o arco litoral, cuja largura varia entre 60 e 200 metros, há também a destacar a presença descontínua de uma arriba, a existência de dunas e ainda dos principais sistemas lagunares de Melides, Santo André, Sancha e Ribeira de Moinhos. Ao longo deste troço encontram-se sedimentos holocénicos (aproximadamente 10.000 anos até à actualidade), constituídos por areias de praia, areias eólicas e aluviões fluviais.” O ALTS constitui uma importante unidade fisiográfica da linha de costa portuguesa com a configuração de um arco exposto para oeste, com um sector setentrional orientado segundo NW-SE (Restinga de Tróia), um sector central orientado N-S (entre a Praia do Carvalhal e Lagoa de Melides) e um sector meridional orientado NE-SW (onde se localiza o Cabo de Sines, constituído por rochas magmáticas). O ALTS está limitado a Norte pela Serra da Arrábida que se estende até ao Cabo Espichel. Este relevo acentuado orientado segundo WSW-ENE por cerca de 25 km de extensão (entre o Cabo da Roca e Setúbal) atinge a altitude máxima de 501 m. Ao longo do traçado do ALTS destacam-se como importantes elementos da paisagem: a Restinga de Tróia, localizada no extremo norte, apresentando cerca de 15 km de extensão e limitada a leste pelo estuário do Rio Sado; as lagoas Travessa e Formosa, situadas no Carvalhal; mais para sul, as lagoas de Melides, Santo André, da Sancha e de Ribeira de Moinhos; e o Cabo de Sines, localizado no extremo sul, cujos afloramentos rochosos se prolongam para o oceano. Para o interior do continente destaca-se a Serra de Grândola, orientada segundo NE-SW, que representa um relevo acentuado que atinge altitude máxima de 371 m.

O ALTS é quase na sua totalidade marginado do lado de terra por um campo dunar de diferentes idades e morfologias, geralmente contíguo à praia emersa, e formado por areias médias a finas. Em alguns sectores é possível observar arribas limitando a praia emersa e que apresentam dunas a topo. No sector que se estende de Tróia ao Carvalhal, que inclui a totalidade da Península de Tróia, surge uma sucessão de diferentes gerações de cordões dunares, podendo estes últimos atingir cotas da ordem dos 25 a 30 m. Entre as praias do Pinheirinho e de Melides, salienta-se a presença de arribas constituídas por sequências sedimentares essencialmente detríticas do Plio-Plistocénico (areias finas a grosseiras, cascalheiras e argilas) mas também do Miocénico (arenitos, siltitos, argilitos, arenitos com cimento carbonatado e argiloso com fósseis e calcários). As cotas destas arribas variam entre os 13 e os 50 m. Observam-se também cones de dejecção no sopé das arribas que são constituídos por areias finas a grosseiras com seixos. Os cones de dejecção também surgem associados a linhas de água que desaguam (aluviões) nas praias. As arribas encontram-se cobertas por um campo dunar considerado mais antigo relativamente às dunas que surgem a cotas mais baixas e que são actuais. Entre Melides e a Lagoa de Santo André é visível um campo dunar bem desenvolvido. Na Lagoa de Santo André o campo dunar constitui parte da barreira detrítica que separa a lagoa do oceano. Entre a Lagoa de Santo André e o Cabo de Sines, mantém-se a presença do campo dunar bem evidente nas praias das Areias Brancas e do Fonte do Cortiço (25 a 30 m de cota) até à Praia do Norte junto ao Maciço Intrusivo de Sines.

A morfologia da praia emersa, contínua ao longo dos 65 km, apresenta características variáveis ao longo do ano de acordo com a energia das ondas incidentes. Os perfis de praia são variáveis (Perfil de Inverno ou Perfil de Verão), apresentando uma ou mais bermas e registando variações da inclinação da face da praia, como resposta à energia das ondas, em particular, após a incidência dos temporais (Figura 1). As areias de praia são finas a médias em Tróia aumentando a granularidade em direcção a sul, onde na Praia de Ribeira de Moinhos são areias muito grosseiras a cascalhos finos/ areões.

Figura 1- Esquema do perfil da praia emersa onde são visíveis a berma e a face da praia. Ao longo da praia e no topo da face da praia é visível a presença de crescentes de praia (Exemplo da vista panorâmica para S da Praia de Melides do ALTS).

Adicionar novo comentário