7. Praia do Pêgo

7. Praia do Pêgo (N 380 17’ 33.0’’- W 80 46’ 41.3’’)

Na Praia do Pêgo, junto ao apoio de praia sobre o passadiço de madeira, é possível observar pelo menos dois cordões dunares distintos (Figura 15). Um cordão dunar frontal que define o limite com a praia emersa e que se encontra interrompido em frente ao apoio de praia, e outro cordão dunar mais interno que se desenvolve em direcção a terra e que se apresenta parcialmente coberto por arbustos e árvores. Entre estes dois cordões existe uma área de cotas mais baixas e parcialmente vegetada a que se dá o nome de depressão interdunar. A praia emersa varia de largura ao longo do ano de acordo com a ocorrência de temporais. No Verão apresenta uma berma bem desenvolvida que se estende entre o cordão dunar frontal e o topo da face da praia (Figura 16). A face da praia apresenta crescentes de praia que se estendem ao longo da linha de costa. A inclinação da face da praia varia entre 5 e 80. No que se refere aos sedimentos da praia emersa, a Praia do Pêgo apresenta areias grosseiras maioritariamente formadas por quartzo e por alguns fragmentos de conchas.

Figura 15- Vista panorâmica para N da Praia do Pêgo e do campo dunar adjacente. Note-se a duna incipiente no limite interno da berma seguida do primeiro e segundo cordão dunar.

 

Figura 16- Vista panorâmica para S da Praia do Pêgo, sendo visível a passagem da duna frontal à praia emersa. No horizonte é já visível a arriba constituída por rochas sedimentares detríticas pouco consolidadas do Plio-Plistocénico.

Adicionar novo comentário