9. Praia da Aberta Nova

9. Praia da Aberta Nova (N 380 10’ 38.6’’- W 80 46’ 48.6’’)

No parque de estacionamento da Praia da Aberta Nova ou mesmo em frente ao apoio de praia, é possível observar para sul o campo dunar mais antigo que cobre a sequência sedimentar detrítica que forma a arriba (Figura 27).

Figura 27- Vista panorâmica para S da Praia da Aberta Nova onde se pode observar o campo dunar mais antigo a encobrir a arriba, e ainda, outro campo dunar incipiente na base da arriba. Note-se também a parte final da Ribeira das Fontainhas que desagua na praia.

A arriba que está apenas exposta a norte da Ribeira das Fontainhas (Figura 28) é constituída por camadas horizontais de rochas sedimentares detríticas pouco consolidadas do Cenozóico estando coberta pelas dunas do Holocénico. O topo da sequência sedimentar inclui essencialmente areias com intercalações pouco espessas de cascalheiras, organizados em camadas de diferentes cores (amareladas, alaranjado-acastanhadas e esbranquiçadas) e de diferentes granulometrias (Figura 29). Destaca-se que a estratificação interna de alguns estratos está oblíqua (inclinada relativamente à horizontal; Figura 30) e pode também surgir entrecruzada ou na forma côncava (Figura 31). Estas variações na geometria da estratificação representam figuras de corrente que se formaram aquando da deposição dos sedimentos sob a influência de um fluxo de água.

Figura 28- Vista panorâmica para N da Praia da Aberta Nova onde se observa a extensão da praia emersa e a arriba parcialmente coberta pelas dunas.

Figura 29- Sequência sedimentar horizontal com rochas sedimentares detríticas pouco consolidadas da arriba da Praia da Aberta Nova.

Figura 30- Pormenor das camadas de areias e de cascalheiras do Plio-Plistocénico da arriba da Praia da Aberta Nova. Note-se o limite entre as camadas horizontais de areias que surgem na base da sequência sedimentar, e as areias e cascalheiras que a topo apresentam laminações oblíquas inclinadas.

Figura 31- Pormenor das estruturas sedimentares encontradas nos depósitos de areias e cascalheiras do Plio-Plistocénico da arriba da Praia da Aberta Nova. Estas figuras sedimentares (laminações horizontais, oblíquas e entrecruzadas) indicam a variação da energia e da direcção de transporte dos sedimentos transportados por água.

A erosão subaérea actual provoca ravinamento e a formação de chaminés de fada e de cones de dejecção na base. Para norte, é possível observar que as areias e cascalheiras assentam em argilitos e em siltitos com cimento argiloso, amarelados, esverdeados-acinzentados e esbranquiçados (Figura 32). Os argilitos e siltitos com cimento argiloso apresentam na superfície de exposição a formação de fendas de dissecação (Figura 33). No terraço de maré, e somente expostos durante a baixa-mar, surgem arenitos finos e siltitos com fósseis (conchas) (Figuras 34 e 35). Estas rochas sedimentares relativamente bem consolidadas devem representar as rochas mais antigas (Miocénico) da sequência sedimentar do Cenozóico, tal como se observa na arriba da Praia da Galé.

Figura 32- Aspecto geral da arriba onde é possível verificar que as areias e cascalheiras assentam em argilitos e em siltitos com cimento argiloso, amarelados, esverdeadosacinzentados e esbranquiçados.

Figura 33- Aspecto particular das fendas de dissecação que são visíveis na superfície dos sedimentos silto-argilosos da base da sequência sedimentar que forma a arriba da Praia da Aberta Nova.

Figura 34- Afloramentos geralmente submersos e somente expostos durante a baixa-mar (na base da face da praia), de arenitos finos e siltitos com fósseis (Miocénico) que representam a base da sequência sedimentar que forma a arriba da Praia da Aberta Nova.

Figura 35- Pormenor dos arenitos finos e siltitos com fósseis (conchas) expostos durante a baixamar na Praia da Aberta Nova; vide Figura 34).

Na parte final da Ribeira das Fontainhas que actualmente constitui uma linha de água temporária, verifica-se que durante os períodos mais chuvosos do ano, ocorre a acumulação de água doce. A esta acumulação de água doce pode juntar-se água do oceano que é transportada por galgamento desde a berma da praia.

No Verão, a praia emersa apresenta uma extensão média de 76 m, com uma berma bem desenvolvida. Nos períodos de Inverno, e em particular em períodos de pós-temporal, a largura da praia fica muito reduzida ocorrendo a destruição total da berma. Nestas condições o perfil de praia fica quase resumido à face da praia que se estende até aos cones de dejecção que se formam na base das arribas. Ao longo de toda a praia desenvolvem-se crescentes de praia que se mantêm ao longo de todo o ano, mesmo em períodos de temporal.

A inclinação da face da praia varia entre 3 e 90. Os sedimentos da praia emersa são areias grosseiras e areias muito grosseiras, em particular na berma. As areias da praia são formadas por grãos de quartzo, quartzito e por alguns fragmentos de conchas. Após os temporais é possível observar a presença de areias médias a finas, algumas das quais provenientes dos cones de dejecção existentes na base das arribas (Figura 29). Após longos períodos sem a ocorrência de chuvas a superfície destes cones torna-se mais consolidada devido a elevada concentração de minerais oxidados e de argilas (coloração avermelhada característica). É mesmo possível caminhar sobre os mesmos sem os destruir.

Adicionar novo comentário