11. Praia da Lagoa de Melides (acesso sul)

11. Praia da Lagoa de Melides (acesso sul, junto aos apoios de praia; N 380 07’ 44.9’’- W 80 47’ 21.4’’)

A Lagoa de Melides pode também ser observada a partir do acesso para a Praia de Melides (Figura 42). À distância e virados para norte, é possível observar um pequeno troço de arriba não consolidada, descrita na paragem anterior e com características idênticas às descritas nas praias da Galé e da Aberta Nova.

Figura 42- Vista panorâmica para N da Praia de Melides. Note-se a arriba e embocadura da Lagoa de Melides.

Seguindo sobre o passadiço de acesso à praia é possível observar o espelho de água da lagoa e no interior, pequenas ilhotas cobertas por vegetação (Figura 43). Caso a visita seja feita quando a lagoa está aberta ao oceano, é possível observar os sedimentos que cobrem o fundo da lagoa (partículas de silte e de argila ricos em matéria orgânica, daí a sua cor escura). Mais junto à embocadura da lagoa é possível verificar que as areias marinhas (mais claras) se acumulam dentro da lagoa. A entrada de areias marinhas para o interior da lagoa, aquando da sua abertura ao oceano, é responsável pelo assoreamento da lagoa que a longo termo pode conduzir à sua total colmatação. Contudo, a abertura sazonal da lagoa é importante para manter a qualidade da água, viabilizando a existência de fauna e de flora e a manutenção das condições para o cultivo do arroz.

Figura 43- Vista geral para leste do interior da Lagoa de Melides.

Na zona da embocadura da lagoa de Melides, e quando a mesmo se encontra fechada ao oceano (Figura 44), é possível observar a “cicatriz” da abertura da mesma (N 380 07’ 46.6’’- W 80 47’ 34.0’’). Corresponde a uma zona que pode atingir os 70 m de extensão, definida ao longo da zona da berma no topo da praia emersa. Junto à embocadura da lagoa e nas proximidades do espelho de água da lagoa, existem dois declives laterais acentuados que marcam as margens do canal principal de escorrência da água em direcção ao oceano, durante o episódio de abertura. O dia e hora da abertura da lagoa ao oceano (marés equinociais da Primavera, por volta da Páscoa), constitui uma oportunidade única para observar o fluxo da água e o transporte de sedimentos em direcção ao oceano. Este tipo de acontecimento é também observável um pouco mais a sul, na Lagoa de Santo André, embora as dimensões do fenómeno sejam ainda mais significativas pois cobre uma área bastante superior à da Lagoa de Melides.

Figura 44- Embocadura da Lagoa de Melides e dunas embrionárias adjacentes.

Adicionar novo comentário