14. Praia de Ribeira de Moinhos

14. Praia de Ribeira de Moinhos. (N 370 58’ 32.0’’- W 80 51’ 57.1’’)

A praia de Ribeira de Moinhos (Figura 50) situa-se a Norte do Cabo de Sines e corresponde ao limite meridional do ALTS, considerando o seu contínuo de costa arenosa ao longo de quase 65 km. Esta praia está limitada a sul, pela presença de afloramentos rochosos de calcário (Pedra do Homem) iniciando-se uma pequena praia (Praia do Norte) que se encosta às rochas que constituem o Maciço de Sines. Do topo da arriba, junto do acesso à praia, é possível ter uma vista deslumbrante sobre o arco litoral Tróia-Sines que se estende para norte.

Figura 50- Vista panorâmica para Norte e acesso à Praia da Ribeira de Moinhos.

A praia emersa, que se estende ao longo de 200 m, é limitada em direcção a terra por arribas constituídas por areias e cascalheiras pouco consolidadas do Plio-Plistocénico, com cotas próximas de 10 m e cobertas pelas areias das dunas (Figura 51). Esta praia apresenta características particulares no que se refere à robustez do seu perfil e aos sedimentos grosseiros que a constituem (Figura 52). Apresenta em geral, duas bermas bem desenvolvidas, e uma terceira incipiente, nos períodos de maior recuperação. É notória a presença de crescentes de praia e de grandes acumulações de conchas nas bermas mais internas (Figura 53). A berma mais interna marca a posição mais recuada que a praia pode apresentar após a ocorrência de temporais sucessivos ou de temporais mais energéticos. Esta praia está exposta às ondas predominantes de Noroeste e pode por isso mostrar fortes variações morfológicas ao longo do ano. Contudo, após a ocorrência de temporais, a praia emersa recupera rapidamente sendo bem visíveis a formação de uma nova berma frontal em direcção ao oceano. A face da praia é larga, sendo caracterizada por uma inclinação muito regular ao longo do ano e com um declive médio muito elevado de 70. No que se refere aos sedimentos da praia emersa, predominam as areias muito grosseiras e os sedimentos da dimensão do areão (superior a 2 mm). Nesta praia é bem notória a semelhança entre os sedimentos das arribas e os que constituem a praia emersa.

Figura 51- Arriba com rochas sedimentares detríticas pouco consolidadas do Plio-Plistocénico, cobertas por dunas com vegetação. Note-se os cones de dejecção na base da arriba. (Praia da Ribeira de Moinhos).

Figura 52-Pormenor das areias muito grosseiras a cascalho fino essencialmente constituídas por grãos de quartzo (Praia da Ribeira de Moinhos).

Figura 53- Discordância sedimentar observada na Praia da Ribeira de Moinhos. Esta discordância angular é definida pelo limite entre as camadas de calcários do Jurássico inclinadas 30º para N, na base (junto ao oceano), e as camadas horizontais de arenitos e cascalheiras do Plio-Plistocénico, no topo (na arriba).

14-01 - Arriba constituída por rochas sedimentares detríticas pouco consolidadas (N 370 58’ 29.7’’- W 80 52’ 02.0’’):

A arriba inclui uma sequência estratigráfica horizontal de areias com alguns níveis de cascalheiras e de argila (Figura 54 e 55) que está discordante sobre calcários do Jurássico que afloram no limite meridional da praia (Figura 56).

Figura 54- Arriba com sequência sedimentar com camadas horizontais de arenito e de cascalheira do Plio-Plistocénico (Praia da Ribeira de Moinhos).

Figura 55- Pormenor da alternância de camadas de arenito (base) e de cascalheira (topo) do Plio-Plistocénico (Praia da Ribeira de Moinhos).

Figura 56- Afloramento de calcários do Jurássico com estratificação a inclinar cerca de 30 graus para N (Praia da Ribeira de Moinhos).

14-02 - Calcários acinzentados do Mesozóico (N 370 58’ 29.1’’- W 80 52’ 04.5’’):

Para Sul, é possível observar na praia os calcários acinzentados recristalizados por efeito do metamorfismo de contacto do Maciço Eruptivo de Sines que aflora a sul. Os calcários representam plataformas carbonatadas com recifes de coral de idade jurássica (Era dos dinossauros) em bacias sedimentares relacionadas com os primeiros estádios de abertura do Oceano Atlântico e com a fragmentação do supercontinente Pangeia. Mais tarde no Cretácico estes calcários foram metamorfizados por efeito da instalação das rochas magmáticas do Maciço Intrusivo de Sines.

Os calcários apresentam estratificação a inclinar para Norte e que contêm estruturas carbonatadas arredondadas e fósseis (restos de corais) (Figuras 57 e 58).

Figura 57-Pormenor das estruturas carbonatadas encontradas nos calcários do Jurássico (Praia da Ribeira de Moinhos).

Figura 58- Pormenor do calcário fossilífero do Jurássico (Fragmentos de corais) (Praia da Ribeira de Moinhos).

Adicionar novo comentário