4. Praia do ALMOGRAVE

4. Praia do ALMOGRAVE (N 370 39’ 12.0’’- W 80 48’ 06.4’’).

A Praia do Almograve está talhada em rochas sedimentares do Carbónico que constituem a maior parte da sua arriba e plataforma de abrasão marinha. A sequência sedimentar constituída por grauvaques e pelitos do Carbónico encontra-se coberta por uma sequência de areias e cascalheiras do Pliocénico- Pleistocénico, que apenas surge no topo da arriba e que localmente apresenta concentração de óxidos de ferro. Para o interior surge um extenso campo dunar. A praia está confinada por uma arriba rochosa com 10-15 metros de altura e apresenta uma extensa plataforma de abrasão onde se pode observar na baixamar a deformação das rochas sedimentares do Carbónico.

Figura 12- Fotografia de satélite da praia do Almograve onde se observa o extenso campo dunar (extraída do ‘Google Earth’).

Figura 13- Vista panorâmica da praia do Almograve.

Para sul, seguindo a estrada de terra batida para o porto pesqueiro da Lapa das Pombas podemos observar algumas estruturas que caracterizam a deformação da sequência de rochas sedimentares do Carbónico (N 370 38’ 30.3’’- W 80 48’ 23.3’’; N 370 38’ 23.4’’- W 80 48’ 25.0’’; N 370 38’ 14.5’’- W 80 48’ 29.9’’).

Figura 14- Exemplos do dobramento das camadas de grauvaque e de pelitos do Carbónico na arriba e na plataforma de abrasão.

Figura 15- Na plataforma de abrasão junto ao porto pesqueiro da Lapa das Pombas observamse dobras que resultam da deformação da sequência e grauvaques e argilitos do Paleozóico (Fotografia de esquerda cuja largura equivale a 15-20m); pormenor da concentração de óxidos de ferro nas areias consolidadas do Cenozóico junto ao mirador da Lapa das Pombas (Fotografia da direita);

Adicionar novo comentário